Estudo do Comportamento dos Concretos em Situações de Incêndio

Autores/as

Palabras clave:

Concreto, fogo, Resfriamento, Resistência Mecânica, Temperatura

Resumen

O concreto, quando submetido a situações de incêndio, sofre comprometimentos de suas propriedades, os quais podem
alcançar grandes proporções e até mesmo resultar no colapso da estrutura. Este trabalho tem como objetivo a
investigação da interferência da elevação da temperatura nas propriedades do concreto. Para tanto, foram preparados
traços experimentais de acordo com a metodologia de dosagem de Paulo Helene e Terzian, com o traço 1:5 de cimento
e agregados. Desta forma, foram moldados 30 corpos de prova para tipo de cimento estudado, sendo 6 deles como
referência, 12 submetidos a temperatura de 300°C e 12 a temperatura de 500°C. Os mesmos foram submetidos ao
resfriamento rápido e ao resfriamento lento, usuais em intervenções de combate a incêndios. Os cimentos utilizados
foram o CP-II- 32 F, CP-IV, CP-V ARI. As amostras foram ensaiadas em relação à resistência à compressão e
resistência à tração por compressão diametral e, de maneira geral, as maiores perdas de resistências foram observadas
nos corpos de prova submetidos a temperatura de 500°C e resfriados rapidamente. Além disso, em relação ao
resfriamento o CP-IV foi o que menos sofreu alterações, porém em relação à temperatura sofreu as maiores variações
dentre os cimentos estudados.

Citas

MEHTA, P. Kumar; MONTEIRO, Paulo J. M. Concreto: microestrutura, propriedades e materiais. 2. ed. São Paulo: IBRACON, 2014. xxi, 751 p.

MORALES, G.; CAMPOS, A.; FAGANELLO, A. M. P. A ação do fogo sobre os componentes do concreto. Semana: Ciências Exatas e Tecnológicas, Londrina, V. 32, p 47 – 55, 2011.

SOUSA, et.al; Efeito de altas temperaturas na resistência à compressão, resistência à tração e módulo de deformação do concreto. IBRACON, 2010.

LORENZON, A. Análise da resistência residual do concreto após exposição a altas temperaturas. Trabalho de conclusão de curso. Pato Branco, 2014.

COSTA, C.N; SILVA V.P. Estruturas de concreto armado em situação de incêndio. Jornadas Sul Americanas de Engenharia Estrutural. Brasília, 2002.

LIMA, et.al. Efeitos de alta temperatura no concreto. II Seminário de patologías nas edificações, Porto Alegre, 2004.

Macedo et al.(2016). Análise Termoestrutural de Vigas de Concreto Armado em Situação de Incêndio. Ibracon, Belo Horizonte-MG, 2016.

Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 16697: Cimento Portland – Requisitos. Rio de Janeiro, 2018.

. NBR 7211: Agregados para concreto- Especificação. Rio de Janeiro, 2009.

. NBR 5739: Concreto – ensaio de compressão de corpos-de-prova cilíndricos. Rio de Janeiro, 2010.

. NBR 7222: Concreto e argamassa — Determinação da resistência à tração por compressão diametral de corpos de prova cilíndricos. Rio de Janeiro, 2011.

NEVILLE, A, M. Propriedades do Concreto. 5ª Edição. Bookman Editora, Porto Alegre, 2016.

HELENE, Paulo R. L.; TERZIAN, Paulo. Manual de dosagem e controle do concreto. São Paulo: Pini, 2001. 349 p.

Descargas

Publicado

2021-09-04